quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

AMOR PROIBIDO


Todo mundo tem um amor proibido
Guardado, escondido, sem jamais revelar
Tratado nas sombras, ilegal, atrevido
Inteiramente híbrido, não consegue brotar.

Esse tipo de amor nunca foi correspondido;
Desejos reprimidos não conseguem aflorar.
E sofrer muito mais do que temos sofrido
É o mínimo, de tudo, que podemos esperar

O tempo passou, dava pra ter percebido
Mas o orgulho ferido não se deixa enganar;
Sua presença constante, um olhar incontido
Reacende as chamas que nunca irão apagar

Há muito tempo que estou convencido
Mesmo quando ferido, é preciso lutar
Embora essa luta seja tempo perdido
É importante unir forças para continuar

Mas ainda restou um coração partido
No peito dolorido levemente a pulsar
Brevemente refeito por ter entendido
Que o fruto proibido não deve vingar.

José Joel Rodrigues dos Santos(Zé Joel) é um excepcional poeta, os versos acima confirmam. Tem também ótima formação intelectual e profissional, sendo graduado em Publicidade e Propaganda, pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior. É Fiscal de Tributos e Assessor Parlamentar.


Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários", e deixe sua opinião.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Festejos de Francisco Santos - Agenda Cultural


          A agenda cultural dos festejos de Francisco Santos começa hoje, com um show da Banda ERROS. Esse grande momento terá inicio às 21:00 horas no Penta Club. 
          A despeito do nome ERROS, posso afirmar que é uma equipe de respeito, formada por jovens amantes do bom e velho rock and roll, mas muito responsaveis e que tocam por prazer. Sob o comando de Luedno Luís, Janylei e Hélio, a banda também conta com as participações de Uyldes Rezende, Preto e Gillzep. 

          O grupo já tem uma carreira consolidada, pois em muitos anos de estrada vem tocando sempre o bom rock and roll. A banda é formada por jovens que além da vocação musical tem ocupações ligadas a criação, pois são artesãos, técnicos em informática e eletrônica: 
Luedno Luis, fundador e um dos mais entusiasmados membros da banda é técnico em eletrônica;
Helio é artesão, trabalha com marcenaria;
Preto, é o provedor maior de internet em Francisco Santos;
Janylei é confeiteiro;
Gilzzepi é técnico em sistemas de computação;
Uyldes Rezende é comerciante de...produtos de informática.




          Outra boa pedida é a apresentação da Banda de Carlos Heitor, no tradicional Veneza Club, dia 21 de Dezembro de 2014, às 20:00 horas. Sob o comando de Carlos Heitor, também tocando o bom rock and roll, a banda Vicios e Virtudes vem ousando, tendo feitos muitas apresentações em Francisco Santos e em Picos. A banda tem apenas seis meses de carreira, pois é formada por ex-componentes da Banda Erros e alguns músicos de Picos.





         Também no dia 29, no Penta Club, haverá o I Festival de Rock de Francisco Santos, o Rock In Chico. Com a participação de 03 bandas do mais puro rock and roll. 



          Vá. 
          Participe. 
          Prestigie os nosso valores.


Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários", e deixe sua opinião.


54º Aniversário de Francisco Santos - Programação Oficial


          O caledário oficial dos festejos do 54º Aniversário de Francisco Santos, terá a seguinte programação:

Dia 22 de Dezembro de 2014 - (Segunda-Feira)
Horário: 19:00 horas
Lançamento do livro: Romanceiro dos Versejadores e Repentistas de Jenipapeiro
Escritor: João Bosco da Silva
Local: Auditorio da Escola Municipal Santa Helena(Antigo Ginásio Cristo Rei)

Dia 24 de Dezembro de 2014 - (Quarta-Feira)
8:00 Horas - Momento Cívico
Hasteamento de bandeiras e execução de hinos.
Local: Prefeitura Municipal de Francisco Santos
9:00 Horas - Missa Solene em Ação de Graças
Local: Igreja do Imaculado Coração de Maria

Dia 25 de Dezembro de 2014 - (Quinta-Feira)
17:00 Horas - Divulgação Oficial de Nomes de Ruas e Avenidas.
Local: Auditório da Escola Municipal Santa Filomena.


Dia 27 de Dezembro de 2014 - (Sábado)
22:00 Horas - XII Chico Folia
Bandas: Banda Ki Agita - Patchanka
Local: Praça Pública

Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários", e deixe sua opinião.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Corrupção Institucionalizada

          O que todos supúnhamos está ganhando contornos de verdade: o esquema de corrupção nas licitações de obras públicas está espalhado por vários setores no país, e não se restringe apenas à Petrobras. 
          Com conhecimento de causa, essa certeza já havia sido dada pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que iniciou o processo de delação premiada nas investigações do escândalo que ficou conhecido como o petrolão.
          Em recente sessão da CPI mista do Congresso, Costa afirmou que o mesmo esquema de corrupção que existe na estatal se repete em todos os outros contratos públicos do país, incluindo ferrovias, portos, aeroportos, e demais obras.
          O próprio juiz Sérgio Moro, do Paraná, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, disse ontem que as evidências já recolhidas indicam que o esquema de fraude em licitação "vai muito além" da Petrobras. Ele classificou de "perturbadora" uma tabela apreendida em março com o doleiro Alberto Youssef, que continha uma lista de cerca de 750 obras públicas de infra-estrutura.
          Ali, constavam "a entidade pública contratante, a proposta, o valor e o cliente do referido operador, sendo este sempre uma empreiteira", mostrando pelo menos o interesse do doleiro em prospectar novos negócios ilegais no mesmo setor em que já operava.
          O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa confirmou no mesmo depoimento na CPI outro ponto importante que já se sabia pelas evidências: para ser indicado para diretoria de uma estatal, “em todos os governos, desde o governo Sarney, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma”, é preciso ter o apoio político.
          O interesse de políticos por indicações como “a diretoria que fura poço” ou pelo chefe da Receita Federal no aeroporto de Cumbica ou no Porto de Santos, ou pelo diretor da Transpetro sempre existiu, e a ilação mais generalizada na opinião pública é que ninguém se interessa por um cargo desses à toa, para fazer que o Porto de Santos ou a alfândega funcionem melhor.
          E dá também para imaginar que os governantes aceitavam que políticos importantes exercessem influência em áreas estratégicas, como diretorias de estatais, fazendo vista grossa para suas reais intenções. Eram esquemas políticos de corrupção pontuais, mesmo tradicionais e que prejudicavam o andamento dos serviços públicos, subvertendo os valores que deveriam orientá-los.
          O desvio de licitações de obras públicas, e a formação de cartéis, sempre foram denunciados e vemos agora em São Paulo, graças à investigações de autoridades suíças, o desmembramento de um cartel que funcionava até recentemente nos governos do PSDB, desde Mario Covas.
          Vários executivos de empresas estatais responsáveis pelos transportes públicos, sejam trens ou metrô, foram indiciados, inclusive os atuais presidente e o diretor de operações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Mário Bandeira e José Luiz Lavorente. Apesar de o esquema estar em vigor há muitos anos, não há até o momento nenhuma acusação de que o PSDB montou-o para financiar suas atividades políticas.
          O assunto está sendo tratado como um esquema de corrupção tradicional, digamos assim, e o que se deve estranhar é que tenha funcionado durante tanto tempo sem que três governos tucanos nada notassem.
          Ao contrário, no petrolão (e já houve a comprovação disso no mensalão) há indicações de que esses esquemas passaram a ser institucionalizados, e o que era área de influência deste ou daquele político ou grupo político passou a obedecer a um esquema mais organizado de financiamento dos partidos políticos.
          O Ministério Público Federal já baseava sua investigação na possibilidade de que parte do dinheiro cobrado por diretores da Petrobras para firmar contratos com empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato pudesse ter sido repassado a partidos políticos para financiar campanhas eleitorais.
          No documento que baseou as primeiras prisões de empreiteiros o MPF afirmava que as investigações da Polícia Federal apontam que as doações para campanhas são "mera estratégia de lavagem de capitais" e que o pagamento de propina teria sido utilizado pelas empreiteiras para "obtenção de vantagem indevida".
          Esse esquema foi parcialmente confirmado pela delação premiada do executivo Mendonça Neto, da Toyo Setal, que revelou que dinheiro desviado de uma obra da Petrobras fora transformado em doação legal para o PT, por orientação do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, indicado pelo ex-ministro José Dirceu para o cargo.
          A corrupção institucionalizada é um degrau acima na escala da degradação do Estado brasileiro.

          Merval Pereira, jornalista, membro da ABL e colunista de O Globo.

Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários", e deixe sua opinião.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Romanceiro dos Versejadores e Repentistas de Jenipapeiro

Capa
            No final deste Dezembro de 2014, mais precisamente no dia 22, será o lançamento de um dos projetos mais ousados de valorização da arte e cultura popular do povo de Francisco Santos. O escritor João Bosco da Silva num trabalho de pesquisa intensa e minuciosa. Coletou e organizou um apanhado de versos e poesias de cordel ou assemelhados, que compreende deste os primeiros versos de Vó Isabel, chegando ao jovem e promissor Cleovan Sousa. Passando pelo mestre e violeiro Miguel Guarany, Sidraque Rodrigues, Zé de Néo, Joaquim de Béu e uma infinidade de bons poetas, matéria prima que temos em verdadeira abundancia.
         Nestes tempos de internet e da comunicação virtual e instantânea, onde o presente vira passado distante em questão de semanas, dias, talvez horas. Em razão desta volatilidade da informação, da descartabilidade de quase tudo que consumimos, inclusive das coisas relacionadas com a cultura. Considero o trabalho de João Bosco da Silva de fundamental importância para a preservação da nossa cultura, da nossa história.      
         A realização de um projeto como o livro Romanceiro dos Versejadores e Repentistas de Jenipapeiro, onde João Bosco se coloca apenas como organizador, demonstra o desprendimento de alguém que tem um objetivo maior, nunca buscando apenas a sua promoção pessoal, mas sempre procurando compartilhar os seus conhecimentos e contribuindo de forma efetiva para que o nosso povo tenha um referencial histórico da sua cultura, dos seus costumes, da sua história de vida.         
        Sabemos do enorme trabalho de pesquisa e coleta de material com parentes e amigos dos poetas, muitos falecidos há décadas, séculos. Das dificuldades encontradas, inclusive financeira, pois organizar, redigir, editar, revisar e depois de tudo pronto, encaminhar para a impressão um projeto de tamanha envergadura é extremamente desgastante e merece ser reconhecido, valorizado, prestigiado. 
        Gostaria de convidar toda comunidade de Francisco Santos, não só os moradores, mas também os visitantes, poetas, professores, alunos, amigos, leitores, colaboradores e simpatizantes desta causa tão importante que é a cultura de um povo. Portanto, convidamos todos a participarem deste grande momento da vida cultural e social de Francisco Santos.
        É importante salientar que este é um evento suprapartidário, onde os poderes constituídos(Câmara e Prefeitura Municipal) contribuem dando o apoio institucional e logístico, pois um evento de tamanha importância para a nossa comunidade, requer uma estrutura razoável para que obtenha exito. 
          

Contracapa.

Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários" e deixe sua opinião.