sexta-feira, 23 de agosto de 2013

S.O.S. Rio Riachão

         
         Não somos a palmatória do mundo, mas procuramos dar a nossa contribuição para uma Francisco Santos cada vez melhor. Em postagens anteriores, apontamos deficiências na organização urbanística da cidade, seja no transito caótico ou nas construções que começam e não terminam, tornando cada vez mais difícil a vida do cidadão. Também criticamos a conduta da atual bancada na Câmara de Vereadores da cidade, que nunca se manifestam em favor dos interesses dos cidadãos, pois levam apenas e sempre em consideração os seus interesses, sejam eleitorais ou pessoais.   

        Mas, a finalidade desta postagem é apontar para um problema gritante, que vem incomodando os observadores mais atentos. O Rio Riachão vem sendo destruído dia após dia pela falta de uma legislação que iniba a forma abusiva como os construtores vem explorando o leito do rio e as suas margens. 

          O assoreamento do Rio Riachão vem acontecendo há muito tempo, sem nenhuma iniciativa dos poderes para evitar a destruição das suas margens. As insistentes "pontes molhadas" mal planejadas e mal executadas provocaram enormes erosões e alteraram profundamente a estrutura do rio. Hoje em dia, vemos construções feitas próximas a ponte sobre o rio, que no nosso modo de ver, colocam em sérios riscos os moradores destas residências. 

          Entretanto o mais grave no momento é a atuação da construção civil, que vem retirando do rio enormes quantidades de areia, transformando o seu leito em algo disforme, que não conseguimos nem mais identificar onde um dia foi o leito original do rio, roça ou vazante. Quem o conheceu outrora, sabe do que falo. A antiga estrada de tropeiros que margeia o rio e corta um sem número de propriedades, deixando uma ilha entre as propriedades ribeirinhas e as antes tão decantadas vazantes. Pois é amigos, estas famosas "ias" que em um passado não tão distante foram uma espécie de oásis, onde muitos pais de famílias tiraram os seus sustentos. Elas também estão sendo destruídas pela ação do homem. Árvores centenárias como juazeiros, oiticicas e carnaubeiras já foram abatidas de forma irresponsável e em alguns casos sem nenhum fim. Dia desses pude observar um desses pés de juazeiro enormes, abatido, simplesmente para abrir caminho para as máquinas que colhem o material no leito do rio.

         Perguntamos aos amigos leitores. Não seria o momento de repensarmos este progresso que destrói e criarmos leis que preservem o nosso meio ambiente? Aos nossos nobres edis não basta apenas fiscalizar a aplicação dos recursos por parte dos demais poderes, muito menos aprovar títulos de cidadania para Zé do Bá ou Antonio Eletricista. Criar leis que melhorem a vida dos seus concidadãos é uma necessidade urgente. 

          Então caros amigos é hora de defendermos o nosso ecossistema, pois o futuro é logo ali e as próximas gerações poderão encontrar grandes dificuldades para a obtenção de um bem tão essencial e que poderá se tornar muito raro: a água. 

          Abaixo, algumas imagens que fizemos da atual situação do nosso rio. Aos amigos leitores, deixamos que tirem as suas conclusões. 
          Ah! Os comentários estão abertos.



                                          Para ampliá-las, clique nas imagens.

Para inserir um comentário, vá abaixo na palavra "comentários", e deixe sua opinião.


27 comentários:

  1. Francisco Santos necessita é de um grande reservatório de Água Potável, um dia o lençol freático pode estancar de tanto uso. A construção de uma grande barragem seria viável e de grande valia ao município. Além de proporcionar um melhor lazer aos nossos cidadãos(ãs) franciscosantenses(as)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo poeta Antonio Vanderley Santos.
      A sua proposta é muito interessante, ela já foi até objeto de
      discussão num passado recente.
      De qualquer maneira, necessitamos urgentemente que sejam tomadas
      iniciativas de proteger o nosso meio ambiente.
      E a nossa proposta urgente é a de que salvemos o Rio Riachão.
      Obrigado por prestigiar este espaço.
      Um cordial abraço.

      Excluir
  2. QUANDO DA PUBLICAÇÃO DE MEU LIVRO - JENIPAPEIRO - JÁ CHAMEI A ATENÇÃO PARA ESTE SÉRIO PROBLEMA, QUE CHAMEI DE ASSOREAMENTO DO RIO. QUANDO O AMIGO ERISMÁ CHAMOU A ATENÇÃO PARA MUITAS OUTRAS MAZELAS, FOI TÃO TERRIVELMENTE BOMBARDEADO DE CRÍTICASS - PESADAS, GROSSEIRAS - QUE ELE SE VIU OBRIGADO A NUNCA MAIS POSTAR NADA. MEU AMIGO, SE PREPARE PARA O QUE VEM POR AÍ.
    JOÃO BOSCO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo João Bosco.
      Sempre achei as críticas desproporcionais, no caso envolvendo o amigo e conterrâneo João Erismá de Moura e aquela mal compreendida postagem.
      Agradeço pela preocupação, mas neste mundo quem ousar mostrar seu ponto de vista, está sujeito a reações, às vezes, inesperadas.
      O blog agradece pela sua colaboração na discussão de um assunto tão importante.
      Aguardamos as suas novas contribuições nas postagens do blog.
      Um cordial abraço

      Excluir
  3. Bem, sobre a questão de uma possível falta de agua no futuro já se noticia a construção da Adutora Bocaina/Piaus II que vai levar agua das barragens de Piaus em São Julião para Alagoinha, Mons. Hipolito, Francisco Santos, e Sto. Antonio de Lisboa. e da barragem de Bocaina a Sussuapara e Picos. http://www.riachaonet.com.br/governo-dara-inicio-as-obras-da-adutora-bocainapiaus-ii.html/
    mas apesar da boa noticia ela não anula em hipótese alguma a preocupação que devemos ter com nosso rio, visto que além de uma questão ambiental e também uma questão de ética e moral, sou totalmente a favor da defesa do nosso rio quem tiver alguma ideia para solucionar ou pelo menos amenizar o problema por favor entre em contado com as autoridades competentes. o NOSSO rio agradece! um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro comentarista anônimo, embora saibamos das ações dos governos que
      na sua grande maioria nada mais são do que o puro marketing politico.
      Esperamos sinceramente que a adutora chegue a Francisco Santos e que
      ela tenha vida longa e atenda verdadeiramente as necessidades da
      comunidade.
      Ao abrirmos a discussão de um assunto tão grave, esperamos as
      manifestações de todas as classes: A sociedade civil organizada, os
      poderes constituídos para efetivamente darmos resolução a um problema
      tão grave.
      Um abraço

      Excluir
  4. Vendo as fotos, fiquei muito triste. É uma agressão, ao ambiente citado, de forma irracional. Se fizermos um levantamento topográfico do trecho do rio analisado, em tempos passados, podemos perceber que atualmente os locais paresentam erosões aceleradas nas margens e leito de rio e mostram os efeitos ambientais e sociais provenientes desse processo. Há pelo menos uns trinta anos não havia sinuosidade, o curso do rio seguia num modelamento plano. A interferência antrópica, a principal causa aparente, provocou uma desestabilização do equilíbrio do leito. Medidas urgentes são necessárias para amenizar os problemas ambientaia causados pelos impactos ali sofridos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara amiga Geralda Santos.
      Como li no facebook, presumi que fosse seu este comentário.
      Não é saudosismo, mas era bonito de se ver o leito do rio repleto
      canteiros e mais canteiros de alho, cebola, batata-doce, cheiro verde,
      macaxeira, milho, enfim, uma infinidade de produtos que hoje sabemos
      da sua existência e os consumimos, mas todos provenientes de outras
      comunidades, outros estados, até de outros países.
      E o fim de tarde, quando da “aguação” dos canteiros e balcões.
      Era um espetáculo.
      De qualquer forma, ainda é tempo de tentarmos salvar o que resta.
      Abraços

      Excluir
  5. FAÇO VOTOS PRA QUE O GOVERNO LOCAL E A POPULAÇÃO SE MOBILIZEM PARA SALVAR O QUE RESTA DO RIO FAZENDO PLANTIO DE ÁRVORES, MUTIRÃO DE LIMPEZA E CAMPANHAS EDUCATIVAS NA CIDADE E NAS ESCOLAS A FIM DE CONSCIENTIZAR A POPULAÇÃO DA IMPOTÃNCIA DE UM RIO PRA O BEM ESTAR DE TODOS.
    ISAURA ADELAIDE.BRASILIA DF 24/08/2013

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Isaura Adelaide.
      Ficamos felizes e honrados com a sua participação, pois sabemos que o
      tempo e a distancia não foi capaz de te afastar definitivamente das
      tuas raízes.
      Obrigado pelo comentário sempre lúcido.
      Um grande abraço

      Excluir
  6. olha eu sou a favor da preservação do leito do rio sim mas criticar não vamos chegar a algum lugar? do meu ponto de vista nos devíamos preservar o nosso riachão sem construções
    próximo ao seu leito e principalmente sobre a contruçao de uma barragem para o município.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro comentarista anônimo.
      Os elogios serão são sempre bem vindos, mas as criticas estas sim, são fundamentais.
      Os elogios afagam o nosso ego e nos acomodam, as críticas nos
      despertam para a correção de eventuais erros que cometamos.
      Estamos de pleno acordo: Precisamos preservar o Rio Riachão.
      Valeu!!!

      Excluir
    2. Uma coisa que soube recentemente é a construção de um posto de gasolina praticamente dentro do rio. O que há de pior no sentido de poluição que um posto de gasolina? Me pergunto como é que o pessoal consegue as autorizações do IBAMA , Agencia Nacional de Petróleo e órgãos afins para essa construção às margens do rio.

      Excluir
  7. È triste ver o assoreamento no leito do nosso Rio Riachão, a não preservação de suas matas ciliares e sua destruição de forma geral causando um grande impacto ao meio ambiente e ao rio do nosso município.
    A conscientização é um caminho que deve ser percorrido para preservar o que ainda existe e amenizar os atuais problemas existentes no nosso rio.
    Branco Marinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo Branco Marinho.
      Um dos mais profundos conhecedores da nossa realidade.
      Afinal, vem retratando e divulgando as belezas naturais de Francisco Santos e participa ativamente com o seu trabalho social.
      Salvar o Rio Riachão, lutar por uma Francisco Santos cada vez melhor:
      Esta é a nossa luta.
      Um grande abraço.

      Excluir
    2. Obrigado ao Blog da Terrinha pelo belo trabalho prestado a nossa terra, nossa Francisco Santos!

      Excluir
  8. Em caráter de urgência,sugiro uma ação conjunta entre Professores,Alunos,Prefeitura e população.Marca-se uma data anual para que todos esses segmentos se unam no replantio das margens do Riachão,no caso dos alunos,receberiam notas pelo feito;A prefeitura entraria com as mudas e a fiscalização;A população em geral ajudaria voluntariamente;E o Rio Riachão agradeceria com o pulsar do seu coração!! IRVALDO LIMA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo e poeta Irvaldo Lima.
      Seria muito bom que esta discussão que estamos tendo aqui no blog, se
      estendesse por toda a sociedade e conseguisse mobilizar todos estes segmentes que você nominou acima.
      Temos que lutar e acreditar, de braços cruzados não resolveremos nunca
      os nossos problemas.
      Obrigado por valorizar este modesto espaço.
      Um cordial abraço.

      Excluir
  9. Se estão destruindo o Rio Riachão a população deve se mobilizar e cobrar o cumprimento das Leis Ambientais. Punir os responsáveis enquadrando-os dentro da LEI. É simples assim!!! (Proponho uma audiência pública)envolvendo autoridades/população.

    ResponderExcluir
  10. DIZIA EÇA DE QUEIROZ, NO SÉC. RETRASADO, QUE NADA MELHOR DO QUE SER DESMENTIDO DE UM PRECONCEITO. VATICINEI QUE TEU ARTIGO IRIA RECEBER UMA ENXURRADA DE CRÍTICAS CORRISIVAS. ERREI FRAGOROSAMENTE. AINDA BEM QUE NOSSO POVO ADOTOU UMA POSTURA MENOS BAIRRISTA E UMA NOVA MENTALIDADE: NÃO FECHAR OS OLHOS PARA NOSSAS MAZELAS, CONFORME OCORREU RECENTEMENTE.
    AS IMAGENS DO RIO, EMBORA CHOCANTES! FALAM POR SI. JÁ NÃO EXISTE RIO. QUE GAROTO HOJE APRENDERÁ NADAR EM SUAS ÁGUAS, COMO EU FAZIA 40 ANOS ATRÁS - SE JÁ NÃO EXISTE ÁGUA EM SEU LEITO? O ANTIGO "ESPURÃO" ERA LIMPO: OS PORÕES QUE ATUALMENTE OCUPAM TODO SEU LEITO - ACUMULAM APENAS DEJETOS DE TODA NATUREZA. QUANDO SE VOLTARÁ A PESCAR UM RELES 'CORRÓ' NESTE INFECTO RIACHÃO?
    UNAMO-NOS, CHICOSSANTENSS, PARA SALVAÇÃO DESSA PRECIOSIDADE QUE ESTÁ A MORRER EM LENTA AGONIA.
    JOÃO BOSCO

    ResponderExcluir
  11. Exercer uma função ambiental de preservar recursos hídricos, paisagem, estabilidade geológica, biodiversidade e fluxo além de proteger o solo é assegurar o bem-estar da população. Atenta à preservação de suas áreas com programas de revegetação de matas ciliares.
    No caso do Rio Riachão há uma necessidade urgente da implantação de um projeto que seja direcionado à realização de reflorestamentos por meio de uma análise histórica de matas ciliares fomentando a recuperação a partir de sua nascente.

    ResponderExcluir
  12. A presente discussão em torno da degradação do rio Riachão ganha relevo por vários motivos: primeiro, a pertinência e propriedade dos argumentos trazidos à baila; segundo, e não menos importante, o nível de conscientização dos comentaristas sobre o tema; por último, o espírito de luta em favor da causa que parece emergir das preocupações de cada um. Como estou fora a meio século do convívio dessa problemática, limito-me a aplaudir ideias tão nobres como as expendidas nos vários comentários sobre o assunto. José Carmo Filho - Brasília, DF.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado ao amigo José Carmo Filho, por enriquecer ainda mais este debate com tão oportunas argumentações.
      Há muitos anos venho observando a agonia lenta do nosso rio, mas nunca encontrei eco nas vezes em que argumentei sobre o tema.
      Em alguns momentos, fomos até questionados, pois a cidade tinha problemas muito mais graves a serem solucionados. Que o rio só tinha areia e este mesmo a cada enchente reabastecia o seu leito com mais e mais areia.
      Também questionamos em alguns momentos a legalidade de tais ações. Tentamos mostrar a alguns menos informados sobre as conseqüências, além da ilegalidade, discutimos os efeitos nocivos da destruição do nosso ecossistema e a conseqüente carência destes recursos naturais num futuro próximo.
      Estamos felizes por termos tido a ousadia de abordar um tema polêmico, mas que teve tão boa aceitação.
      Um cordial abraço

      Excluir
    2. Resta saber se essa aceitação(pela população) vai se estender à prática. O primeiro passo foi dado. Porém,ainda há um abismo que separa o conhecimento do problema e sua efetiva resolução. Espero esperançoso e alegremente que essa questão não fique só no blog.

      Excluir
  13. Odeio essa cidade horrosa de pessoas horrosas. Mas daqui só se salva o 14 e o grande vereador ZÉ ARTUR que fez o seu papel de vereador brilhantemente adoro. de sua amiga mesmira. Adogooooooooooo.

    ResponderExcluir
  14. gostando do 14 e de ze artur nao precisa mais dizer quem voce e.......

    ResponderExcluir
  15. se depender do prefeitin.coitado do rio,do povo,da praça,das escolas,,,,,,

    ResponderExcluir